Seguidores

14 de jun de 2007


É um estilete nos pulsos.
És de tanta tristeza.
É uma tristeza de não bela.
É um volúpia desesperada de coração vazio.
És lasciva e desejo de amor de alguém que não tem pra dar
e pior não tu, e sim eu.
Eu que sabia e dia por lentes que via só o que queria
te via bela, algo como migalha que insisti em comer.
Senti um amor doentio, por alguém que não me deu amor.
Só uma falta de amor próprio faz com que alguém se lance assim em vôo livre para os braços da morte!

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.