Seguidores

31 de jul de 2008

A busca


Quem espera somente espera, e espera que nunca vem, é somente uma espera vã.
Quem espera não luta.
Quem procura, perdeu.
Quem persevera sempre vence.

Já basta a morte pela própria morte.
Não queiram inventar outras formas de morrer.

Leandro Borges

28 de jul de 2008

Gotas


Um copo de água, sem gosto, sem nada.
Era para o seu nada que ela bebia água.

Ao fletar com o raio do teu olhar, olhei ao fundo o vácuo que causei.
Uma vida cheia de dúvidas, cheia de pregos e solidão.

Encharcada pela água, empapada de suor, as gotas de lágrimas se camuflam em meio as tuas águas.
Uma vida partida, um vento cortante, um copo d'água com sal, rajadas de vento: um ciclone extratropical.

É tanta chuva que eu não consigo pensar, parece que o mundo chora por dias.
A alegria dela não me contagia, as vezes até me repele.

Um mundo dele parece ruir, queria entrar, mas ele tranca todas as portas.
Poderia a ajudar a restarar as paredes, mas só consigo ficar do lado de fora e ver tudo ruir.


Leandro Borges
A valsa da vida é tocada em contelações, a quatro mãos, por nós e o destino.

Leandro Borges

22 de jul de 2008

Dual vida


Eu sou apenas um grão de areia solto
ou sou um grão ao mar de sonhos?

O sorriso de minha infância guardo no peito,
deixo descansar toda a pureza no coração.

Sou apenas mais um
ou sou mais um?

O que vale mais? Um sorriso ou um cartão de crédito?
O que é de verdade? O amor ou o capital?
Devo seguir o coração ou o metal?
Quantos dólares vale um quebrar de um sonho?

Teço uma vida de verdades e me desfaço dos ostentares.

Leandro Borges

20 de jul de 2008

Abraco sem fim

Eu gostaria de conhecer alguem capaz de me abracar sem fim.

Leandro Borges

13 de jul de 2008

Uma amável história de amor

Um fundo branco. Ele e ela de negro. Ficam por um arrastado tempo se olhando fixamente. Ele tosse pra ela. Ela tosse pra ele.

Ele
É nessa verdade que insisto que tenho medo. Até que ponto essa verdade é verdade?

Ela
Tosse

Ele
Eu já acreditei que fosse uma ilusão criada somente por dois iludidos.
Eu já pensei em pintar um quadro somente com tons de cinza.
Mas o sol insistia em me mostrar ao abrir um leque de cores no arco-íris que eu
estava errado.

Ela
Não é verdade.

Ele
Não? Você acredita em tons de cinza?

Ela
Não, eu quero dizer que a verdade nossa não é uma verdade e sim realmente uma
ilusão, nós iludidos foi que abrimos os olhos...

Ele
Tosse

Ela
Eu sempre acreditei que podia existir algo de especial, sabe? Algo, alguém de verdade.

Ele
Tosse

Ela
Mas não... A vida é mesmo um amontoado de pregos e nada mais.

Ele
É verdade.

Ela
Esperamos somente um martelo para nos enterrar em terra...

Ele
Não, eu digo é que não somos especiais, é realmente uma ilusão tudo isso.

Ela
Quando eu olho pra janela eu vejo as nuvens, muita vezes vejo a figura de uma
bailarina olhando para baixo. Ela não vê acima dela. Passa e não vê.
Como é pode ela se perder assim? Lá em cima faz tanto frio, passa tão rápido o tempo.
É sempre assim, nos meus sonhos, digo pesadelos é a mesma coisa. Há sempre uma
mulher perdida, tentando chegar até o outro lado do muro para ver o seu homem, mas
ela é só um punhado de ossos.

Ele
Você já tomou seu remédio hoje? Eu...

Ela
Quando acordo sempre tenho a sensação que vou conseguir ver o seu rosto desfigurado, mas não. Sempre acordo antes... As vezes eu como bastante antes de dormir, pra ter
com mais frequencia esse sonho.

Ele
Tosse

Ela
Mas engraçado ultimamente só ando sonhando com velórios e velas, todas pretas.

Ele
Podemos trocar de assunto?

Ela
Você quem manda, ou ao menos era...

Ele
Eu já pensei que fosse vermelho, ou então dourado, talvez em brilhante... mas não.
Não. Sempre tem algo pra me sacodir e me dizer, é preto. Ah, sabe eu andei reparando
Todos os muros me passam um recado estranho, uma certa mensagem que todos eles se complementam. Somente ao fim de um ano eu recaptulo tudo que li e consigo entender todas as mensagens escondidas. Há tanta coisa entre as interligações de muros que a maioria das pessoas não tem a menor idéia. Eu poderia pintar muros, mas como não aprendi a nem pintar corações, eu prefiro mergulhar no piche e só.

Ela
Tá frio, né? Bem, eu vou indo.

Ele
Não esquece de sair da porta, antes de fechar.

Ela
As velhas mesmas recomendações de não, ainda, mas sempre.

Ele
Como pode um "bom dia" sair tão oco?

Ela e Ela
Tossem

Ela
Não deixe de tentar encontrar a próxima cara metade na esquina seguinte.

Ele
Quem sabe não cai do céu o seu principe encantado enlatado direto de fabrica...

Ela
Não se faz mais homens como antigamente.

Ele
Cospe no chão.

Ela
Ao menos eles eram...

Ele
Cospe no chão.

Ela
Bem não aditanta, era outro...

Ele
Cospe na cara dela.

Ela
Bate na cara dele.

Ele
As mulheres eram mulheres naquele tempo.

Ela
Talvez nem naquele tempo existia realmente homens...

Ele
Tosse

Ela
Tosse

Ele
Vamos nos acabar tossindo...

Ela
Tosse

Ele
Tosse

Ela
Eu lhe diria palavras bonitas ao invés de tossir, mas como não sei... Tosse.

Ele
Eu não entendi. O que é "palavras bonitas"... Tosse

Ela
Tosse, tosse e tosse.

Ele
Tosse, tosse e tosse.

Ele e Ela
Tossem, caem e morrem.

Fim

9 de jul de 2008

A vitória da vida

o vento parou de soprar
o passarinho pousou
sem mais, foram pras suas casas
o vento pousou
o ceu abriu um claraum
o silencio tomou conta
o silencio profundo
a paz reinando
reinando
apenas contemplativo???
integro simples
uma calma nata
apenas o essencial
sem ruido
sem antecipações
o agora
o estado harmonioso
de paz
o pensamento calado
a essencia concentrada
o ontem e o amanhã
não, apenas o agora
não ha frio o calor
não ha humidade
um ar seco
não ha distancia
nãoi ha cedo nem tarde
uma confortavel sensação de estar vivo
ha um silencio ondulado
em pulsos
e em cada pulso
o silencio faz uma constante senoidal
a ausencia de ruido é magnifica
tudo se completa e se contem
o nada assume forma
o ar fica leve?
o sentimento escorrem sem agruras...?
os sentimentos voam calmamente
a na tureza corre feliz
o amor envolve tudo
a tudo e a todos
o silencio magnifico
selencio sedutor
silencio grande mestre
o silencio que ensina
que acalma
em si o silencio que conforta
que forma o carater
aguas limpidas
peixes ????
passaros brancos
sol ardente
nuvens
o voo do falcao
o nado dos golfinhos
a corrida do quepardo
o abraço do urso
a marcha dos pinguins
o carinhar dos gatos
a lealdade do cão
a comunidade dos chimpanzes
a calma da tartaruga
o baile aguatico dos peixes
????? quebrando todos os sons girando?
subindo desdendo
as augas ensitando o mar
o oceno o ceu
milhares de ondas de nuvens do ceu
??
coloridas
as cores do ceu desdobradas
brilahtens
intensas
vividas
o reluir dos raios solares nas flores
a tunue gota de orvalho
a pegada de um bebe
o sorriso de uma criança
o carinhar dos enamorados, verdadeiros
o beijo, o beijo do amor de casal de decadas
de um amor que venceu
tudo
até a morte dos dois
continua
ele venceu
tudo
ele venceu a morte
que venceu a vida
que venceu todas as perdas
todos os dragoes
todos os redemioninhos
todos os drgões
todos?
todos ?
todos?
?
o amor que venceu e que vence.

Leandro Borges
triste e não alcançado (no onibus)

é um sentimento de tristeza
não sei
é por que algo que eu já esperava
ter em mãos
e vejo agora q eu naum tenho

e quando apostando todas as fichas
naquela opinião pq me falta termometro
e vem a resp e eu sou descartado
unica coisa q eu posso pensar
o q eu escrevo é ruim
não é uma questão de querer
ser o melhor e estar entre os melhores

8 de jul de 2008

A Porta


Por um vento dissonante, se perde nesse instante a razão.
Torna a olhar ao fundo de si um templo esquecido.
Volta ao centro da vida, se olha no espelho.

Cultiva na alma uma palavra perdida.
Cura a ferida de anos a fio.
O peito aberto, escorre a vida.

Vou trabalhar em madeira, deixarei nela minha marca.
Vou criar um porta larga, de grandes detalhes.
Abrirei a porta para todo o amor entrar
Para toda a felicidade reinar.
Abrirei a porta para todos os feridos,
Darei um prato de comida.
Trarei a paz para quem entrar.
Veremos então juntos o pôr do sol
E então dormiremos em paz.

Leandro Borges

1 de jul de 2008

A Rosa

Le diz:
tudo volta ao lugar, quando o vento soprar
Le diz:
a sombra de uma rosa nunca é igual a outra
Le diz:
a cada dia incide um raio de sol de angulo diferente
Le diz:
o vento sopra e altera a sombra, traz movimento
Le diz:
o tempo pode ralentar a sobra, trazendo ao pensamento uma outra forma
Le diz:
ao fim e inicio, em um ciclo, a vida torna a mostrar a sombra fiel
Le diz:
não me importa a sombra, os ventos e tempestades, e sim a rosa


Leandro Borges
Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.