Seguidores

13 de nov de 2013

Alegria Transcendental


Constelações de fogos de artifício.
São os ares do novo tempo que
dentre o fogo se faz presente.
Apenas um transbordar de alegria
toda o alma, corpo e mente.

Alforria da dor, a beleza do flutuar
entre o silêncio e a calmaria.
Síncronos saltos para o ápice
se faz no palco da vida.

A arte eu me mostro cru e transparente.
Alegro nos embalos da canção
que linda se faz em um oceano de vibração.

O regorgizar, a alegria
e o jubilo: transcendentais.
Todas as cores parecem dobrar
e transbordar de cores e sons.

Lindo é a queda livre.
O penhasco de liberdade.
A falta de chão nos dá a liberdade.
Há grande firmeza mesmo sem base.

A grande celebração da vida
cânticos ei de entoar e agradecer.
Grande presente nos foi dado.

Turbilhão de explosões.
No meu corpo há o brotar da flor.
A trilha me deixa em seus
braços a descansar enfim.

Leandro B. C. Borges - 5/2005

Dance


Permita-se dançar aos quatro ventos.
Lance no espaço toda a sua graça
e toda a magia da sua energia.

Flutue e escorra pelo chão.
Faça do seu baile a própria celebração.
Crie novas formas de descobrir seu corpo.

Embale-se com amigos em roda.
Fure o vento e os problemas.
Seja amigo da sua natureza.

Cresça e expanda com seu corpo
e deixe toda energia circular.
Faça do momento alegria em movimento.

Ande na corda bamba e no picadeiro.
Dance nas ruas, nas chuvas e nos luares.
Cante com seu corpo gratificado
entrelace o tempo com o seu vento.

Deslize pelas camadas de ar com élan e prazer.
Seja da sua forma e mostre ao mundo quem você é.
Faça amigos e seja amigo a todo corpo de baile.

Renasça na dança.
Liberte seu corpo.
Abra seu plexo.
Seja vivo e vibrante.
Dance em todas as direções.
Permita-se todo o espaço.
Crie novos corpos.
Faça de si a própria liberdade.
Sinta a textura de cada passo.
Seja firme na sua presença.
Brinque como criança.
Acarinhe seu corpo com as ondas da melodia.
Voe com gratidão e honra.
Ocupas o espaço que mereces.
Orgulhe-se de poder falar com a sua forma.
Perceba a sutileza e grandiosidade da vida.

Aprenda com a natureza.
Seja pequeno e grande.
Ajude quem adoece
e perdoe quem te aborrece.
Seja sublime e simples.

E não esqueça: nunca deixe de dançar.

Leandro Borges

Lux

Transcender o eu carnal, ir ao eu real.
O eu carnal é dádiva e desafio da linhagem dos dnas dos ancestrais carnais.
Transcender o eu carnal, ir ao eu real.

Nosso eu real estamos unidos a ele é quando estamos equilibrados.
Nosso eu real é nosso grande eu ser, que também evolui e tem a claridade da vida.
O eu real é o nosso verdadeiro ser que ajuda nessa dimensão também o grande salto.

Desequilibrados: e entregue total ao barco das paixões, então perdemos temporariamente esse eu espiritual.
Desligados da luz, incendiamos de furores mudanos.

7 de nov de 2013

Um abraço


Uma vontade de abraçar...
Um abraço: pra não deixar estranheza.
Simples e prolongado.
Sublime e atemporal.
Pra ficar nada indigesto...

É muito estranho um beijo no rosto.
Pode até ser orgulho.
É difícil de lidar...

Prefiro um abraço.
O abraço que ultrapassa
a intimidade de um beijo na boca.

Que devora o íntimo das almas,
que traz uma paz enorme ao coração
e um conforto sublime, sem igual.

Abraço é o beijo dos corações.

Leandro Borges
Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.