Seguidores

14 de jun de 2007

Cereja em calda


Doce cereja que deixa seu gosto em mim.
Vermelha cor, cor forte virtuosa em chamas.
Corpo envolvente entre enlaces me prende.
Não fadas, mas sim vampiras vêem.

Conforto de lugar, quente e farto.
Rios de mel, sonho e grande calmaria.
Encanto mesmo pequenino, pepitas de ouro;
rosas, sempre rosas pintam o lugar.

Crescente e selvagem se vai entre os rumos
curvos de selva jovem vistosa.
Veloz, as unhas podem te arranhar
mas sabes que sente o calor doce: cereja em calda.

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.