Seguidores

14 de jun de 2007

Choro morte, Choro vida


Não me permitirei chorar
pelas cicatrizes do coração.
Não me permitirei chorar
pela falta de amor dos outros.
Não me permitirei chorar
pelo caos da sociedade.
Não me permitirei chorar
pela injustiça sufocante.
Não me permitirei chorar
pelos bilhões de mendigos.
Não me permitirei chorar
pelas eternas crianças mortas.
Não me permitirei chorar
pela falta da visão e escutar.
Não me permitirei chorar
pelo passado, pelas pessoas mortas.
Não me permitirei chorar
pela insanidade do mundo.
Não me permitirei chorar
pela aparente falta de sentido da vida.
Me permitirei chorar
das lindas vidas de amor.
Me permitirei chorar
canções grudadas no coração.
Me permitirei chorar
pelas pessoas que morreram.
Me permitirei chorar
a mais um nascer do dia.
Me permitirei chorar
as lindas obras de arte: lindas cenas.
Me permitirei chorar
das minhas grandes conquistas.
Me permitirei chorar
das alegrias que Deus me dá.
Me permitirei chorar
nos "até-logos" do meus amigos.
Me permitirei chorar
quando a chuva cair em meus ombros.
Me permitirei chorar
quando alguém voltar: pessoa viva.

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.