Seguidores

15 de jun de 2007

Caveleiro Errante



Eu jogo o jogo das fadas.
Canto louco como um lobo selvagem.
Corro entre os campos de trigo.
Sigo vivo.
Sigo vivo!

Indomável cavaleiro errante.
Segue o fluxo, límpido e distante.
Laçando amizades e criando beldades.

Levando a luz até o portal.
Trovando e cantando, ó imortal.
A taça e as canções de devoção.
Trago a magia, a alma e o coração.

Leandro Borges

http://video.google.com/videoplay?docid=7897808620788255065

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.