Seguidores

16 de jul de 2007

Decantar


Por mais doloroso que possa ser, deves ter em mente as ações que tens a fazer. As novas cidades, caminhos, pessoas, emoções... que deves conhecer. O motivo da sua presença e a luta para que isso seja possível. Mesmo que por azar de não encontrar tudo o que desejas, tenha em mente as realizações que foram possíveis pelos teus próprios feitos. Mesmo com todo desencanto da vida e todos os castelos desmoronados, pense que a vida nua e crua ainda assim pode ser bela.
Mesmo que muitas coisas da tua vida percam o sentido, lembre que a vida tem o seu próprio. Se todos os seus amigos ficaram em outras andanças e outros se foram, um novo grupo pode se formar. Mesmo que muitos te latam, sempre tenha em mente os elogios recebidos.
Se o chão já não lhe parece firme, não siga andando, tu sabes; podes voar! Mesmo que a dor se aloje em seu corpo, sublime tudo de menor tamanho. Quando a força lhe parecer faltar e tudo mais for parecer inconstante, olhe para trás e veja o que já andou.
Se algo lhe parece turvo, espere; no final DECANTARÁ.
Guarde os momentos bons em sua bagagem, sem nostalgia doentia.
Ao pensar, não entre em caos pelas feridas tidas.
Há novas regras, são outros caminhos agora e um outro plano.

"AS VEZES É PRECISO SE PERDER PARA ENCONTRAR O CAMINHO."

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.