Seguidores

7 de out de 2007

Imensidão


De tanto provar maças
esqueci como é amora.

Brilhos de aluguel.
Brasil povo sofrido.
A sobrevivência matou o tempo.

Diz pra mim o gosto
que amora deve ter.
Derrama poesia em mim.
Torna-me novamente humano.
Tira-me desse mundo insano.
Me leva pra ver as estrelas.
Pra ver o vento.
Pra ver o movimento lento
do pulsar do teu coração.
Sai do meu pensamento.
Torna-te verdadeiro tempo.
Meu amor: Imensidão.

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.