Seguidores

1 de mar de 2016

Explode e florifica, Explode e frutifica

Vou sair na rua, preciso uivar, preciso voar, preciso cantar! Sim, na rua! - entre as estrelas e a lua crescente Deixar que o vento, seja lento Brisa Sem Sertão, só Asfalto Sem Contradição, Só o Universo a minha frente Mergulho onde quero Vivo meu Eu sincero Não cultivo passado Queimo a cada dia Sou Fogo Sou Chama Sou Pira Me vou pra rua Rueiros em Bares Trameiros Transamos Brisas Sim na Rua, entre a multidão de falsos-vagalumes. Entre Montanhas Cubicas, Entre Vales Quadrados. Morcegos e Grunidos São Paulo Escorre pelas Ruas Faço Poesia Pura, 24 Kilates Vou Pra Rua, Pois é de Poesia que Me Abasteço nas Ruas! Das Ruas, pros rio urbanos, e dois sóis madrugais vamos as casas. Nas tocas de ondas Nikeis e Árabes, uivo em outras língua, danço-queimo em outros corpos, sinto tua pele nua Selvagem. Do meu fogo com teu fogo, fazemos Incêndio na Liberdade. Corpo Laço em Volúpia sem Fim! Opera nas Notas Ígneas do teu Corpo, Vejo Constelações no nosso gozo Quartã. Nossos olhos fundidos, nossos corpos com a Sede Primal. Corpos Nús, Poesia na Cama, Poesia na Rua. Bella Agusta, ítala-brasileira de personalidade forte. Escorro tua via, como lava incandescente, São Paulo floresce na Garoa, Explode e florifica, Explode e frutifica!

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.