Seguidores

21 de dez de 2009

EgoPedra


O ego que cria prisões.
Padece pela sua ditadura.

Persegue aquilo que se impõe, se quer.
Deixa de ser, para então querer.

Para com o evoluir, e volta para a pedra.
Lança ao lago, e afunda com ela.

Sabe que está afundando e ainda assim afunda.
Sabe que a pedra é aquilo que lhe puxa
e ainda assim contempla a pedra com toda as suas forças.

Faz da vida um calvário desnesessario
a muito tempo que o prazer de ter a pedra
foi superado pela dor e falência que ela causa.

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.