Seguidores

5 de jan de 2011

A liberdade de dois

Uma vontade de abraçar...
Um abraço: pra não deixar estranheza.
Simples e prolongado.
Sublime e atemporal.
Pra ficar nada indigesto...

Me abrace como se fosse a primeira e a última vez.
Me envolve e faz com que toda água agitada se conforte.
Me segura e permanece assim até a tua alma tocar a minha e deixa a tua marca para sempre em mim.
Me mostra todo o teu carinho, não reprimes este sentimento bonito que tens por mim.
Me abraça forte pra mostrar toda a intensidade do teu coração, e diz ao colar dos nossos plexos, que eles seguem separados fisicamente, mas sempre estarão lembrando um do outro ao bater no mesmo tom.
Me abraça sem tempo nem lugar.
Me encanta nos teus braços ao sonhar o meu sonho, me conforta com teu envolver sem fim.
Me abraça até o meu último sopro de vida.
Que a minha alma aura beba da tua.
Que seja da mesma cor e mesmo brilho que a tua tem.
Me abraça sem freios nem bloqueios.

Me abraça sendo abraço.
Ser do encontro o vento.
Ser do vento o movimento.
Ser da vida o instante, ser do sonho o real.

A vida em abraço.
O abraço em vida.

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.