Seguidores

10 de mai de 2008

Doce, Agressiva, Carne e Saliva


A busca de um amor.
Mira as ondas sonoras.
Molda os clarões dos teus vulcões.
Esconde as faces da dor.

Conflitos alados.
Vem mergulhado em lava.
Derrete o magma do coração.
Pulsa o peito, reverbera explosão.

Vibra as arpas dos teus olhos.
Protegem a janela da tua alma.
Deixa a fresta desnuda.

Doce.
Agressiva.
Carne.
Saliva.

Saia feita em flor.
Passeias livre no arpoador.
Caminhar breve.
Carinhar leve.

Pequena, cansada de um país deveras torto diz:
- Que tragam o desfribilador para o Brasil
pobre, triste, ferido e quase morto.

Leandro Borges

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.