Seguidores

8 de ago de 2012

Leander e Sabina


Caíram as aureolas
e eu preciso de asas.
Para poder voar,
sair do fundo do mar.

Morto pela busca da amada:
herói grego afogado, face sem cor.
Era guiado pelo farol, quando anoitece
mas em meio as tormentas adormece.
Ele no fundo, morto e profano.

Ela que fora raptada
pelas mãos do romano.
Uma marionete desalmada.
Está toda ela ensanguentada.
Deixa se levar pelo mau insano.

Podres; malévola e lunático: aborto!

Um amante da heroína raptada, morto.
Uma ex-donzela levada pela depressão, sem perdão.
Dois destinos horríveis: destruição.
São dois filhos horrendos: infecções.
Amor exagerado e promiscuidade depressiva:
SOIS ABERRAÇÕES!!!

Leandro Borges - 20/08/2006

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.