Seguidores

16 de set de 2010

A Cura

É disso que é feito toda essa energia.
Onde a vida verdadeira se detêm.
Onde vida e morte, tempo e eternidade; compactuam.

A capacidade de ter-te é força para substituir o poder.
É uma promessa, uma lembrança.
Entregar a tudo e sempre; jamais esquecer.
Não permitir que tão singelo gesto desapareça.
É estar com a presença divína permanente.

Ao ver, veja a luz noite.
Onde a luz do luar possas ver:
metade com os olhos e metade com o coração.

Como entrar no paraíso em vida.
É entregar a vida a outrém.

É ver além do além.
É ter os pés no ar em terra firme.

Onde o peso e a dor não podem entrar.
É banhar-se em plena primavera com os ventos da esperança.
É rever o mundo com os olhos de uma criança.
É seguir tranqüilo.

Um longo adeus que nunca se acaba.
Transforma o mais simples mortal, em ser especial:
aquele que vê toda a cor do universo.

Quando verdadeiro proferido: o universo transmuta e expande.
Trocamos nossa natureza grosseira e matérial, para uma expansão espiritual.
É o ponto onde se honra a vida em seu mais alto degrau.

A deriva do tempo, temos a nítida sensação de paz e completude da vida.
É a chave-mestra para todas as portas.
Onde os milagres residem.
Onde se basta.

Onde cura-se é preciso no agora, não ontem ou amanhã.
Um ato de fé que reside no altar mais elevado do ser humano.

No suspiro.
Nas palavras.
Nos gestos.
No brilho.
No olhar.
No escutar.
Na pele.
No arrepiar.
Nas carícias.
Nas batidas.
No coração.
No abraço.
Nos longos silêncios que justificam a incansável contemplação.

De onde as mãos emanam, os olhos, o peito palpitante, os lábios doces.
Íntimos, tão íntimos... tão marcados... tão entregues.
Em um beijo... vemos apenas uma alma.

É um despertar-se pelo outro, é um raio de sol humano.
Luz que clarifica todo mundano; torna-nos mitos em carne e osso.
Quantificar a sua luz, é o somatório de toda luz emanada recebida.
Conscientizar-se que é muito além de um aglomerado de átomos.
Deixar toda energia ser exatamente a natureza o qual fidedignamente emana.

Um mar de ondas perfeitas, onde cada onda é única e simples.
Que cada curva dança, cada movimento é grávido de emoção.
É ferver dois líquidos juntos em um só horizonte de gargalhadas.

É transferir a vida pela doação, ser pelo outro.
Onde tudo vence.
Não há caminho difícil ou insuperável.
Simples como sorrir juntos.

Sentir-se forte, generoso e cheio de vida.
Invade todo o universo com seu inquebrantável poder.

Vital força.
Latejante pulso.
Razão sem razão.
Emoção sem poréns.
Poder sem sombra.
Graciosidade sem ostentação.
Caminho de núvens.
Rodopios em alma.
Retrato inesquecível.
Poder indestrutível.
Fogo invisível.
Sabor de cores.
Confiança pura.
Vento profundo.
Canção do verão.
Fala do coração.
Elixir do espírito.
Calor do existir.
Refúgio do caos.
Sonho real.
Harmonia do cosmos.
A maior força do universo.
O significado de ser vida.

Tons.
Cores.
Música.

Em tantos caminhos te encontramos.
Em tantos versos já te foram feitos.
Nas partes mais remotas do universo irradia.

Generosa força transmutadora e metamorfoseadora.

Leandro Borges
Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.