Seguidores

3 de fev de 2010

Continue a Brilhar


Quando todas as luzes se apagam
Quando todas as estrelas somem
Quando o sol está muito distante
e nem um raio dele se pode ver.

Seus amigos estão distantes.
A vida lhe parece dar as costas.


A escuridão absoluta toma conta do palco.


Em volta parece que há somente vampiros
somente a inveja
a incompreensão
a dor
o caos
a incoerência.

Todos os olhares parecem opacos.
Tudo a volta é hostil.
Tudo parece um quadro amarelado.
Os sorrisos tortos enferrujados a te julgar.

Onde os tentáculos da dor dançam trazendo a destruição.
Onde as lamparinas brilham foscas, um falso brilhante.
Onde todos se ofuscam e todos se controlam.
Onde a mesquinhez é rainha e ninguém pode ter luz.

Brilhe.
Brilhe!
Brilhe muito!!!

O mais intenso que puder!
Com a leveza de milhões de lúmens.


Onde as farpas aparecem armadas.
Onde o veneno escorre das bocas invejosas.
Onde há dor de ver a alegria alheia.
Onde muitos querem porque não são.
Onde tentam sugar todas as luzes alheias.

Proteja seu núcleo e continue a brilhar.
Brilhe tão forte que cegará seus inimigos.
Brilhe tão forte que queimará que ousar se aproximar.
Brilhe tão forte que todas as outros falsos brilhantes
se tornaram tão evidentes que serão vistos pelo que são: poeira.

Por mais duro que seja, nunca deixe de brilhar pelos que caem.
Nunca deixe de brilhar pelos que: desistem
--------------------------------- questionam
--------------------------------- se apegam
--------------------------------- tem medo
--------------------------------- caem
--------------------------------- morrem
--------------------------------- mentem
--------------------------------- roubam
--------------------------------- matam
--------------------------------- enganam
--------------------------------- dissimulam
--------------------------------- são fracos

Seja suave como o sol nascente.
Seja forte como o sol ao meio-dia.
Seja belo como o sol poente.

Continue a brilhar e relevar todas as cores da vida.
Viva cada brilho como único e um regalo de Deus.

Leandro Borges

2 comentários:

joão pedro disse...

muito bonito leandrito. parabéns.

Angela - Atelier do Bonde disse...

Leandro,

Lindo poema, exatamente como tu: um diamante sendo lapidado a cada dia. Continue brilhando, tua luz é vida para os que te cercam e te admiram. Muito sucesso como ator, músico, poeta... Abraços, Ângela - Atelier do Bonde

Creative Commons License
Poesya, não burguesia! by Leandro Bastos Carneiro Borges is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at poesyas.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://poesyas.blogspot.com/.